Homem e mulher foram criados como iguais e são expressões complementares da imagem de Deus. Ambos tinham a imagem de Deus, embora de maneiras diferentes. Seus papéis no relacionamento entre os dois dão uma noção do que é Deus e como a Divindade se relaciona com seu povo.
Jesus Cristo é igual a Deus, o Pai, embora submisso e responsivo a ele – “Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens;..” (Fl 2:6-7)
Deus, o Pai, ama o Filho e o exalta. Esse padrão se repete no relacionamento de Cristo com a igreja. Cristo providencia liderança amável e serviçal; a igreja responde com respeito e submissão como “Noiva de Cristo” (Ef 5: 22-23). Um acréscimo a essa figura é o relacionamento entre lideres de igreja e grupos locais. (Hb 13: 7,17).
O pecado distorceu o relacionamento entre homem e mulher em qualquer nível, mas os cristãos são chamados a se relacionar de acordo com o plano do Criador, instituído ao jardim do Éden, antes de o pecado entrar no mundo (Gen 2:15-23) Esse plano é marcado por santa reciprocidade, na qual a amorosa liderança do marido provoca uma submissão responsiva da esposa, da mesma forma como a cooperação submissa da esposa provoca uma liderança sensível. As realidades de liderança e submissão nos papeis “homem e mulher”, devem se desenvolver em amor, igualdade e complementaridade. Dessa maneira a imagem de Deus é apropriadamente refletida.
(Bíblia da mulher – leitura-devocional-estudo)

Anúncios