Final de ano é interessante, mesmo não querendo a conversa das pessoas em geral é a respeito do ano que esta terminando. Analisam o que fizeram de bom, ou o que fizeram de ruim, as realizações, as perdas, enfim, é o assunto em quase 100% das conversas.

E foi em uma dessas conversas que a palavra “escolha” ficou martelando em minha mente. Todos nós sabemos que algumas situações são resultados das escolhas que fazemos, seja bom ou ruim.

Meditando no texto de Tiago 4, vemos que algumas escolhas não provém de uma firme convicção da vontade de Deus, pelo contrário, elas vem da cobiça em possuir algo, em conquistar coisas para o próprio prazer, ao ponto de prejudicar o próximo.

Precisamos rever nossas motivações, analisar se as escolhas estão de acordo com a vontade de Deus, se tem a aprovação d’Ele. Pode parecer exagero, mas cada passo dado deve ser debaixo da orientação do ETERNO.

O SENHOR tem prazer em abençoar a todos de coração humilde, em abençoar os que entregam tudo nas mãos d’Ele, os que confiam plenamente suas vidas a Ele.  Posso afirmar que “escolhas” baseadas na orientação de Deus é sucesso garantido.

 

Meditem no texto de Tiago 4:2-6

“Vocês cobiçam coisas, e não as têm; matam e invejam, mas não conseguem obter o que desejam. Vocês vivem a lutar e a fazer guerras. Não têm, porque não pedem. Quando pedem, não recebem, pois pedem por motivos errados, para gastar em seus prazeres. Adúlteros, vocês não sabem que a amizade com o mundo é inimizade com Deus? Quem quer ser amigo do mundo faz-se inimigo de Deus. Ou vocês acham que é sem razão que a Escritura diz que o Espírito que ele fez habitar em nós tem fortes ciúmes? Mas ele nos concede graça maior. Por isso diz a Escritura: Deus se opõe aos orgulhosos, mas concede graça aos humildes”.

grande abraço

Anúncios