“Por isso mesmo, empenhem-se para acrescentar à sua fé a virtude; à virtude o conhecimento; ao conhecimento o domínio próprio; ao domínio próprio a perseverança; à perseverança a piedade; à piedade a fraternidade; e à fraternidade o amor.

Porque, se essas qualidades existirem e estiverem crescendo em suas vidas, elas impedirão que vocês, no pleno conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo, sejam inoperantes e improdutivos.” (II Pedro 1: 5-8)

Aqui Pedro exorta-nos a associar excelência à nossa fé em tudo o que cremos. A palavra usada vem do grego “arestos”- agradar. Isso denota eficiência, excelência ou perfeição.

Se não buscarmos a perfeição em tudo que fazemos, nunca nos desenvolveremos.

É preciso haver busca incessante por excelência no homem. Nada é perfeito e tudo pode ser melhorado.

É essa busca por excelência que nos faz ir além de nossos limites e experimentar o fortalecimento de Deus. Somente buscando a excelência é que podemos experimentar o crescimento espiritual e alcançar maturidade.

Pedro orienta a associar o conhecimento à excelência. Conhecimento no conceito hebraico significa conhecimento através da experiência e não conhecimento como estudo teórico. Dessa maneira. Pedro se refere à experiência que resulta da busca por excelência.  Ao passarmos por novas áreas de excelência podemos experimentar os benefícios e resultados em um nível mais alto de excelência. Quando tentamos alcançar um nível de excelência que vai além de nossas habilidades é que experimentamos o poder de Deus, nos ajudando a alcançar nosso alvo. Somente quando tentamos o impossível é que conhecemos o poder de Deus.

Essa experiência com Deus nos leva a desenvolver o domínio proprio. O autocontrole resulta mais de nosso conhecimento do que a supressão de nossas emoções. Esse domínio próprio é conseqüência da compreensão do valor das coisas terrenas e que, as coisas espirituais é que são  importantes. Assim, nao ficamos intolerantes com relação às coisas materiais, aprendemos a ser paciêntes e não ficamos aborrecidos quando perdemos bens materiais. Por causa dessa paciência, podemos perseverar nas circunstâncias difíceis.

Essa habilidade em perseverar nas situações difíceis nos capacita a amar os outros porque não nos preocupamos conosco. Entao, o que os outros fazem a nós não tem tanta importância, somos leais mesmo assim. Isso é a verdadeira sabedoria. Essa sabedoria mostra a importância de Deus e das pessoas. Quando não temos essa sabedoria, permanecemos centrados em nós mesmos e no mundo a nossa volta. Quando temos essa sabedoria nossas prioridades ficam corretas.

Conclusão

À medida que crescemos em conhecimento é necessário crescer na sabedoria de Deus para usar esse conhecimento em favor da sociedade

(Trecho do livro:  “Liderando com Excelência” – P.K.D. Lee – Ed. Socep)

abraços

 

Anúncios