João 8: 1-12

Uma dramatização do Episódio “A mulher adúltera”

Jesus, porém, foi para o Monte das Oliveiras. (v.1) E pela manhã cedo tornou para o templo, e todo o povo vinha ter com ele, e, assentando-se, os ensinava.(v.2) E os escribas e fariseus trouxeram-lhe uma mulher apanhada em adultério;(v.3) E, pondo-a no meio, disseram-lhe: Mestre, esta mulher foi apanhada, no próprio ato, adulterando.(v.4)”

– Meu Deus, fui pega. E agora?! serei morta por estes homens, sou merecedora, eu sei, mas como é terrível ver meu pecado levando-me à morte. E estes homens? ….se dizem doutores da lei? São pecadores tanto quanto eu, alguns já estiveram comigo….. É.. mas, eu fui pega, espero que não demore.

A mulher chora , jogada ao chão,  seus acusadores ao redor questionavam a Jesus; seus  pensamentos atormentavam….

– Porque falam com aquele homem? Espere! … Mas é aquele homem, a quem chamam de mestre, aquele que dizem que realiza milagres, ele é homem santo, meu Deus!! Este sim tem todo direito de me apedrejar…

“E na lei nos mandou Moisés que as tais sejam apedrejadas. Tu, pois, que dizes? (v.5) Isto diziam eles, tentando-o, para que tivessem de que o acusar. Mas Jesus, inclinando-se, escrevia com o dedo na terra.(v.6)”

Eles citaram a lei para que de algum modo pudessem pegar Jesus, mas Jesus pegando-os em seu próprio pecado responde:

“E, como insistissem, perguntando-lhe, endireitou-se, e disse-lhes: Aquele que de entre vós está sem pecado seja o primeiro que atire pedra contra ela.(v.7)”

– É o meu fim, eles não vão confessar o próprio pecado, não vão admitir, somente aquele homem chamado Jesus tem condições de me apedrejar….  mas eles jamais admitirão, me matarão.

“E, tornando a inclinar-se, escrevia na terra.(v.8) Mas, ouvindo eles esta resposta e acusados pela própria consciência, foram-se retirando um por um, a começar pelos mais velhos até aos últimos, ficando só Jesus e a mulher no meio onde estava.(v.9)”

– Não! Não acredito, estão indo embora, meu Deus! Estão indo embora….

“Erguendo-se Jesus e não vendo a ninguém mais além da mulher, perguntou-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou? (v.10)  – Respondeu ela: Ninguém, Senhor! Então, lhe disse Jesus: Nem tão pouco eu te condeno; vai e não peques mais.(v.11)”

– Ele me ajudo, estendeu sua mão e me levantou, olhou pra mim. Seu olhar doce esquadrinhou o meu ser, e viu o que estava mais oculto; sua maravilhosa voz disse: “Nem eu te condeno” – Ele sim tinha o direito de jogar a primeira pedra, mas ao invés disto, me perdoou, senti como um enorme peso saindo de mim, não consegui falar mais nada, só olhei para Ele e obedeci; – Não pequei mais.

12. “Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida.”

Na vida daquela mulher cumpriu-se a palavra que diz: “O povo que andava em trevas, viu uma grande luz, e sobre os que habitavam na região da sombra da morte resplandeceu a luz.” (Is 9:2)

E assim será na vida de todos que olharem na direção de Jesus.

grande abraço 🙂

Anúncios